• Quest Comunicação Total

Como trabalhar o merchandising no ponto de venda? Veja aqui!



Sabia que as pessoas não vão às lojas apenas quando precisam comprar algo? Muitas vezes, são influenciadas por outros motivos, como dar só uma “olhadinha” ou ver de perto os lançamentos que aparecem na mídia. Nesse cenário, o merchandising no ponto de venda representa uma excelente oportunidade de lucrar.


Entretanto, o que deve ser feito para despertar o interesse de alguém que pode estar de passagem? Só uma estratégia que interpreta e gerencia dados sobre o comportamento de compra é capaz de fidelizar clientes e conquistar novos compradores.


Claro que não é uma tarefa fácil. Ou seja, não adianta montar um display no PDV e esperar que as ações aconteçam sozinhas. Afinal, merchandising é quase uma ciência. É preciso pensar, planejar e executar os processos com base nas informações certas e monitorar os resultados constantemente.


Neste artigo, vamos falar sobre o conceito de merchandising, os principais tipos, como fazer o planejamento, quais são as boas práticas e dicas para fortalecer o relacionamento com o fornecedor. Boa leitura!


Qual a definição de merchandising no ponto de venda e sua importância?


Merchandising é um conjunto de ações trabalhadas no ponto de venda para proporcionar melhor visibilidade a produtos, marcas e serviços. A intenção é influenciar positivamente as decisões do consumidor.


Diante da necessidade de competir com produtos semelhantes, buscar alternativas de diferenciação é uma urgência. Mesmo com o crescimento de comércios virtuais, a experiência de compra dentro da loja física continua sendo um atrativo especial. Isso porque é possível ativar sensações por meio dos sentidos: visão, audição, tato, paladar e olfato.


Sendo assim, o merchandising torna-se uma poderosa ferramenta de comunicação no ponto de venda. Os materiais impressos e outros adereços são utilizados para facilitar e permitir que a atenção dos visitantes seja conquistada de acordo com o que a empresa se propôs a oferecer.


O impacto visual do material de merchandising é uma estratégia capaz de atender aos desejos e superar expectativas. Todos os tipos de sinalização ampliam os efeitos do marketing, pois informam, relembram, persuadem, indicam posições, expõem e vendem. Não é à toa que os investimentos em comunicação visual crescem a cada dia.


Quais são os principais tipos de merchandising no PDV?


Conheça algumas peças que são essenciais para a sua marca se comunicar com o cliente.


Stopper

Se o objetivo é apresentar um produto novo ou mostrar uma promoção especial, o stopper cumpre bem a missão. É um material aplicado em posição perpendicular às prateleiras e gôndolas. Deve ser exposto, especialmente, na altura dos olhos do consumidor.


Wobbler

É um sinalizador feito de cartão ou plástico que se sobressai diante dos produtos organizados na gôndola. Usado para anunciar lançamentos, promoções e benefícios. Portanto, a mensagem precisa ser objetiva e causar boa impressão.


Adesivo de piso

É um papel adesivo impresso aplicado ao chão, próximo ao produto que se deseja destacar. Os materiais antiderrapantes e de alta resistência são os mais recomendados, pois evitam que a pessoa escorregue e têm mais durabilidade.


Clip strip

O clip strip é aquela tira de plástico na qual os produtos ficam pendurados. É posicionado estrategicamente perto de um item que vai casar bem com ele. Por exemplo, pacotinhos de queijo parmesão sobrepostos à prateleira do macarrão.


Móbile

Material que fica sustentado por fios no teto para atrair os olhos do consumidor. É muito popular para ilustrar imagens ou marcas, uma vez que o excesso de frases e informações dificulta a leitura.


Banner promocional

É um sinalizador tradicional do visual merchandising. O formato pode assumir diversos tamanhos em materiais como: papel, plástico ou tecido — esticado sobre roletes de madeira ou acrílico. O banner se adapta bem a diferentes locais e pode apresentar qualquer tipo de informação ao consumidor.


Embalagem

Quando você produz o que vende, a aparência do produto merece uma atenção especial. O design de embalagem deve apresentar beleza e, sutilmente, sugerir facilidade de manuseio e conforto. Além disso, tem de apresentar as informações necessárias, como: marca, logotipo, descrição, validade etc.


Display

O display é um dos materiais que mais destacam a mercadoria no ponto de venda. Pode ser colocado diretamente no chão, balcão, vitrine ou gôndola. Ele facilita as compras por impulso, além de informar e divertir.


Faixa de gôndolas

A faixa é um material contínuo, feita de papelão ou plástico, cuja mensagem pode ser impressa em forma de frases ou imagens. Ajuda a destacar o produto, decorar o ponto de venda, diferenciar itens semelhantes, apresentar algo na prateleira da vitrine etc.


Bobina forração

Plástico com imagem ou mensagem sobre o produto, comum para a decoração de pontos extras, terminais de gôndolas ou qualquer outra superfície que permita a aplicação em diversos tamanhos.


Inflável

Peça de material flexível que é enchida com ar. Contém imagens impressas, mas também pode ser fabricado com o mesmo formato do produto.


Cupom

Folhetinho distribuído ao consumidor com ofertas, descontos, brindes, informações sobre sorteios e outras vantagens para serem trocadas depois. Podem ser colocados na própria embalagem do produto, dentro de jornais ou revistas, entregues pessoalmente ou via mala direta.


Como planejar o merchandising no ponto de venda?

Quando se trata de merchandising, é preciso estar atento aos detalhes. Afinal, o ponto de venda necessita de elementos visuais que causem impacto. Toda empresa tem uma infraestrutura própria. Antes de tudo, observe cada cantinho da sua loja como se você fosse o cliente.


Verifique a entrada, olhe as prateleiras em volta, os corredores e setores por categoria. Isso vai ajudar a identificar os locais de maior e menor visibilidade para saber como elaborar os materiais, onde posicionar ou dar destaque a um item especial.


O bom planejamento é aquele que pensa na interação do consumidor com o produto. A rota de compra normalmente é intuitiva, mas é sempre bom criar alertas para orientar. Adesivos de piso, em vitrines, balcões e até paredes podem ser usados para mostrar o caminho e tornar a jornada mais fácil.


Para ser bem-sucedido nessa etapa do plano, a dica é realizar uma pesquisa de hábitos para entender o comportamento do cliente que vai frequentar o espaço.


A partir daí, é possível criar os gatilhos certos, posicionar os itens de uma maneira estratégica, entre outras ações que impulsionam as vendas. Por exemplo, produtos voltados para o público infantil recebem layouts coloridos e ficam expostos na altura média do alcance dos olhos de uma criança.


Lembre-se de que o mercado é guiado pela sazonalidade. Nesse contexto, organizar um calendário de datas importantes com antecedência vai permitir que você monte a decoração alusiva a uma data e sinalize a loja de acordo com as ofertas disponíveis. 


Quais são as boas práticas?


Agora que você sabe por onde começar o planejamento, confira estas dicas:


Faça o seu diferencial ser percebido

O que a sua marca tem de melhor que as outras? Para garantir que o cliente escolha o seu produto e não o do concorrente, é importante que as vantagens sejam perceptíveis.

Existem muitas maneiras de conseguir esse objetivo, como: personalizar a identidade visual, criar um slogan mais fiel ou mudar a mensagem, produzir um layout específico etc.


A solução mais adequada vai depender do que você quer apresentar. Mostre o quanto a sua loja é capaz de oferecer uma experiência de compra memorável.


Chame atenção para o seu espaço

Não tenha receio de ser visto como o centro das atenções. Afinal de contas, quanto maior a popularidade, mais rápido as vendas fluem. Portanto, dedique-se ao material de sinalização, ao formato do display e invista na psicologia das cores para atrair os olhares curiosos.


Além de tudo, entenda que oferecer o mínimo de conforto é o básico, assim como um espaço considerável entre as prateleiras, limpeza do ambiente, climatização etc.


Invista em comunicação visual

A elaboração da identidade visual é o primeiro passo para construir uma imagem capaz de ser reconhecida pelo público. Além do logotipo e das cores que apresentam a personalidade da marca, é interessante criar um padrão. 


Em outras palavras, ainda que você monte diversos tipos de displays, cartazes e bandeirolas com informações diversas, todo material deve adotar o mesmo estilo de cores e fontes. 


Seja claro e objetivo ao comunicar

O ideal é que o cliente saiba exatamente o que você quer informar ao ler um conteúdo, independentemente de ser em cartaz, bandeirola ou cupom. Então, ao dar um desconto, comunique o preço antigo e o atual.


Sempre que publicar regras ou regulamento sobre sorteios ou outros tipos de promoção, use palavras de fácil compreensão e frases curtas. Se for necessário, disponibilize o link de acesso a outras informações.


Mantenha a equipe bem informada e treinada

O seu pessoal tem de estar atualizado com todas as promoções que circulam no ponto de venda. Para o cliente é constrangedor pedir mais detalhes sobre as regras de um sorteio que viu no cartaz e o colaborador não saber responder.


Portanto, fortaleça a comunicação interna. Todas as ações serão mais efetivas se a equipe estiver bem informada sobre as campanhas. Além disso, garanta que ela receba treinamentos periódicos para garantir a excelência do atendimento.


Modifique o visual do ponto de venda constantemente

As pessoas são sedentas por novidade. Por isso, manter o layout por muito tempo causa a sensação de monotonia. Portanto, é preciso acompanhar a organização dos espaços para não cometer esse erro.


Nesse caso, vale agendar as datas para retirar o material exposto. Não precisa substituir todos ao mesmo tempo, mas é interessante renovar alguma coisa e mudar outra de lugar, desde que a estratégia seja coerente com os objetivos.


Integre as ações offline com o marketing digital

Uma forma de potencializar o marketing é integrar as ações do digital ao merchandising. Isso significa colocar algumas ideias em prática, tanto no mundo real quanto virtual.


Por exemplo, colocar um código 2D no display para o uso com smartphone, incluir links das redes sociais, divulgar as ações na internet por meio de posts, artigos, vídeos etc. Utilize a tecnologia para impulsionar os resultados.


Distribua amostras grátis

Percebeu como os supermercados estão sempre promovendo a degustação de um alimento? Esse é um tipo de merchandising muito trabalhado para atrair compradores. Seja qual for o nicho de negócio, tudo que é distribuído gratuitamente causa um resultado positivo.


Isso porque as pessoas ficam felizes ao ganhar algo. Ao mesmo tempo, criar uma experiência prévia ajuda a decidir o que querem levar para casa. Sem dúvidas, uma ação que favorece a vantagem competitiva.


Tenha uma gestão eficiente

Outro ponto relevante que deve ser levado em consideração é em relação à eficiência da gestão. Ou seja: fluxo de caixa, recursos humanos, treinamento da equipe de vendas, controle e acompanhamento do estoque.


É bom encontrar um ponto de equilíbrio: evite expor excesso de produtos, mas não deixe a prateleira vazia. Dimensione o tamanho ideal do seu mostruário e jamais aceite a ruptura de estoque como algo rotineiro.


Quais as principais tendências e inovações do merchandising no PDV?

Com a crescente concorrência dentro de um mercado formado por consumidores cada vez mais exigentes e bem informados, vender bem se tornou um desafio possível de ser vencido por meio da inovação. Por isso, é bom estar por dentro das tendências para otimizar os resultados. Confira!


Marketing sensorial

Despertar sensações por meio dos sentidos não chega a ser uma novidade. No entanto, nos últimos anos esse recurso se consolidou e a cada dia surgem novos jeitos de se comunicar. Muitos profissionais de marketing o utilizam com o objetivo de tornar mais fácil a interação entre cliente, produto e marca.


O sentido da visão explora a percepção sobre o ambiente e assimila diversas informações, como: cores, formatos, tamanhos, palavras etc. Criar uma ligação direta com o produto ou serviço a partir de uma identidade visual marcante é uma grande vantagem da empresa em relação às outras.


Por meio da audição pode-se influenciar o ambiente de compra de outras maneiras. A música cria um ambiente agradável na loja, principalmente quando o repertório está de acordo com a preferência do público, em volume razoável.


Ela atua diretamente no centro emocional e essa influência traz reflexos comportamentais que possibilitam um momento prazeroso capaz de fazer a pessoa ficar no local por mais tempo.


O sentido olfativo também registra memórias, associa com determinados cheiros e encaminha as mensagens ao cérebro. Os aromas têm a capacidade de influenciar o estado de espírito, pois estimula o sistema límbico, que gerencia as respostas emocionais.


O paladar é considerado um dos mais usados no ramo da gastronomia, uma vez que ao provar um alimento, o cliente tem percepções sobre o sabor e é influenciado dessa forma. 


O ser humano adora tocar, segurar e sentir o objeto antes de escolher o que levar para casa. Por isso, o sentido do tato pode ser bem explorado para criar um vínculo. A interação física gera um sentimento de posse antecipada e influencia diretamente a decisão de compra.


Nem sempre é possível trabalhar com todos os sentidos, mas criar conexão com mais de um, sim. Por exemplo, você pode adaptar um sensor de presença no display para transmitir uma mensagem gravada em áudio na voz de uma pessoa famosa. Isso vai aguçar a criatividade do cliente para ouvir o assunto e observar o conteúdo exposto.


Marketing de experiência

Essa técnica consiste em oferecer uma experiência excelente para que o cliente associe o momento vivido com a marca. É semelhante à proposta do marketing sensorial, mas inclui práticas mais abrangentes dentro de ações promocionais.


O melhor de tudo é que você não precisa ficar preso ao ponto de venda, mas criar estratégias para interagir com o público em eventos de entretenimento, feiras, apresentações ou simplesmente com um quiosque móvel. Fugir do padrão é regra para promover vivências incríveis.


A Netflix, empresa provedora de filmes via streaming, criou um outdoor vivo com personagens vestidas com roupas laranja dentro de um ambiente que simulava um presídio. A ideia foi usada para divulgar a série Orange Is The New Black e causou um enorme impacto na reação de quem passava no local.


Marketing promocional

Reúne um conjunto de ações cujo objetivo é facilitar o fluxo das vendas. Longe de ser apenas uma política de descontos, o marketing promocional é entendido como qualquer tipo de comunicação que incentiva a percepção de valor do cliente.


Isso pode ser feito de várias maneiras: com a distribuição de brindes ou amostras grátis, apresentação de produtos, degustações, ofertas, descontos, programas de pontuação por compra, entre outras.


Hoje, as campanhas podem e devem ser atuantes também na internet. Experimente disponibilizar cupons de desconto em sites de compra, promoções em redes sociais, posts, banners ou vídeos criativos ensinando a usar um produto.


Materiais de PDV diferenciados

É importante se manter bem informado com o comportamento do consumidor para conseguir surpreendê-lo. Nos últimos anos, as empresas que usam materiais sustentáveis têm ganhado a admiração das pessoas.


Nesse cenário, a aposta é fugir do tradicional para encantar. O uso de materiais diferenciados marca uma das tendências nas campanhas de merchandising. Se a preferência for por produtos que decorem o ponto de venda sem agredir o meio ambiente, não tenha receio em mergulhar nesse universo.


Outras ideias bacanas são: incluir luzes de LED no display, utilizar hologramas, códigos nos produtos que levam a uma determinada página na internet, totens enormes com a figura de uma celebridade conhecida, áudio com a voz do artista etc.


Recebimento do produto online no PDV

Muitas marcas acordaram para uma nova oportunidade: permitir que o cliente faça a compra pela internet e retire o produto na loja física. Quanto mais você facilitar o acesso e minimizar a burocracia, a experiência de compra melhora.


Com esse sistema, tanto a loja como o cliente economizam as despesas de frete. Só que as vantagens não param por aí. Dentro do ponto de venda, ele vê outros produtos em destaque, conhece as ofertas e acaba comprando outros itens.


Realidade aumentada

É um dispositivo externo que permite visualizar elementos virtuais em cenas do mundo real. No ponto de venda, pode ser usada para o cliente mirar a câmera do celular no produto e ver uma simulação digital de todos os ângulos, sem precisar abrir a embalagem.


Como as pessoas adoram tecnologia, já pensou o sucesso que essa ferramenta pode fazer para alavancar o sucesso do seu negócio? A TokStok, empresa de móveis, disponibiliza esse recurso para facilitar a localização de produtos, divulgação de promoções e entretenimento dentro da loja.


Aplicativos de fidelização

Os apps de fidelização são uma versão moderna do famoso cartão fidelidade. A ideia é a mesma: fazer o comprador voltar na loja mais vezes. Funciona para recompensar compras regulares com descontos e promoções exclusivas.


O sistema roda no celular do cliente e emite notificações personalizadas para avisar quando um produto de interesse estiver disponível no estoque, entre outras informações.


Como fortalecer o relacionamento com fornecedores?

Investir no bom relacionamento com fornecedores é fundamental para que os processos de trade marketing fluam corretamente. Afinal, desentendimentos acabam resultando em quebra de parceria e todos perdem, pois falhas como atrasos na entrega, má gestão de estoque e prateleira vazia são comuns.


Confira algumas dicas para melhorar a relação entre você e eles:


Mantenha um canal de comunicação

Tanto você quanto os fornecedores precisam ter um canal de comunicação fácil de usar. É o mínimo que se pode fazer para cultivar um relacionamento: interagir. Esteja sempre disponível e peça que eles também deem prioridade ao contato.


Divida a responsabilidade pelo giro do produto com os fornecedores

Normalmente, esses profissionais são encarregados apenas do processo de venda. Entretanto, você também pode fazer com que eles foquem no fluxo da venda direta ao consumidor. Comece pedindo sugestões sobre as promoções que realmente causam impacto. Troque ideias, dialogue, ouça.


Estabeleça prazos reais

Muitos se comprometem com prazos curtos, mas não conseguem garantir que isso aconteça na prática. Então, nada como uma boa conversa para assegurar que o que for dito deve ser cumprido à risca para não prejudicar as vendas. Profissionalismo é tudo.


Como você viu, o merchandising no ponto de venda é essencial para proporcionar melhor visibilidade a produtos, marcas e serviços. Uma ferramenta de comunicação que dialoga com o cliente, oferece uma experiência de compra melhor e cria conexão emocional.


Estas dicas foram úteis para você? Compartilhe o post nas redes sociais para que seus amigos possam ler também. 

0 visualização